22 de fev de 2012

Não acredite em tudo que ouve...

Esta semana saiu uma matéria no jornal aqui, alertando para o número de cesáreas no município. E o secretário de saúde disse que existem campanhas, que no pré natal as mulheres são informadas e incentivadas a ter o bebê pelo parto normal, que existe um incentivo aos grupos de gestante.

O GO do meu pré natal nunca falou sobre nenhum tipo de parto (supondo que cesárea fosse parto). A técnica do grupo de gestante que acontece antes das consultas,  nunca falou sobre parto normal. As mulheres nunca perguntaram. Não tem um cartaz, um folheto, nada.

E eu tenho conhecimento  que os cursinhos de gestante oferecidos pelos hospitais locais falam sobre anestesia pra cesárea, falam sobre cirurgia e pós cirúrgico, sobre mulheres malucas que párem em banheiras ou em casa... Eu tenho conhecimento inclusive de que um desses cursos vetou a participação do único GO que falava alguma coisa positiva sobre o parto normal, ainda que não fosse a fala ideal.

Acho que o município não apoiaria um curso de gestante que mantém este discurso, né?

Sem contar outras coisas que eu sei por que vivo isso, mas que hoje ainda não posso mencionar aqui.

15 de fev de 2012

Atenção e cuidados.

Depois da saga "médico de férias", não voltei mais ao posto de saúde.
Não disse nada na última vez em que estive lá e estou esperando pra ver até onde vai o não interesse deles no sumiço de uma gestante. Eu entendo que as mulheres tenham direito a fazer pré natal no SUS e decidir parir com um médico particular e que isso não é da conta de ninguém, mas ao mesmo tempo estranho a falta de cuidado. Por que afinal de contas não dá pra saber por quê ela sumiu, né?
Será que no SUS também rola um BUM de cesáreas pré carnavalescas?

30 de jan de 2012

Pré natal domiciliar.

Hoje recebi a dupla da assistencia: EO e enf. neonatal.
Visita rapidinha, elas viram a US, a EO mediu a barriga, a PA, ouviu BCF.
Tudo super bem, dentro do normal e esperado.

26 de jan de 2012

Como estamos...

Sem consultas de pre natal, mas caminhando na evolucao da gestacao.
Terceira barriga e diferente e meu corpo comeca a mostrar sinais bem mais claros e intensos do que das outras vezes, bem mais cedo tambem. As contracoes de ensaio estao comecando e sao bem fortes, mas sem dor. Tive perda discreta de tampao tambem.
Vamos levando, muito cedo ainda. 35 semanas.

23 de jan de 2012

US de terceiro trimestre.

Eu não faria essa US se ela fosse um pedido do GO do posto.
Só fiz por que foi a EO quem pediu, por questoes dela que eu nem aprofundei. Confessando que apesar de saber que não serve pra nada, é legal fazer US pra ver o bebê. Momento mãezinha...

Marquei pra fazer numa clínica conveniada a um serviço que eu uso aqui. A atendente pediu pra levar a US anterior e disse que os filhos maiores podiam ir junto. Não levei US anterior por que queria que o laudo fosse baseado no que ele visse e não no que ele queria ver.

Quando me chamaram e lavantamos os quatro, a atendendte disse:
- Só um acompanhante, tá?
- Eles nao são meus acompanhantes, eles sao meus filhos.
- So pode uma pessoa com voce...
- Mas nos vamos entrar, todos...
- O Dr, so permite um.
- Entao voce faz um favor: diz pro Dr. vir aqui falar isso pra mim. E aproveita e diz pra ele que se nao puder entrar todo mundo, eu nao vou fazer.
Ela volta e nos convida a entrar... rs

De costas ele esta, de costas ele se mantem. Ela me pede pra deitar e ajeita minha roupa. Ele vem, diz bom dia, faz o exame, nao emite uma palavra (ainda bem, por que ultrassonografistas adoram dar pitaco em pre natal, bebe e parto) e eu saio feliz da minha vida.

Tudo certo, bebe cefalica, bcf bom, ILA tao bom que nem consta no laudo, placenta grau 1, DPP mantida. A unica bizarrice do laudo foi a margem de erro da IG: 35s4d - 14 dias de margem...
Po, sempre tem margem, mas 14 dias e demais ne? rs

16 de jan de 2012

4ª consulta de pré natal.

Já que foi uma convocação extraordinária e que todas as gestantes iriam, imaginei que o posto estaria lotado de barrigas, por isso eu saí de casa depois das 7h, que eu não sou de ferro. Mas quando cheguei lá e passei pela janela da sala de reuniões (onde a técnica conversa com as gestantes antes da consulta) e vi meia dúzia de gatos pingados, estranhei. Mas pensei:
- A sala de espera deve estar cheia.

Qual não foi minha surpresa quando dei de cara com uma sala completamente vazia... Nem grávidas, nem nenhum tipo de gente (rs). E uma pessoa atendendo. Parecia filme de terror. Só depois entendi que todos os médicos estavam de férias, o posto estava dominado por técnicos de enfermagem...

Bom, enconstei no balcão e disse:
- Eu tenho pré natal.
Ela me olhou, olhou pro relógio (7:30h) e disse:
- Mas era às 7h...
- É, né? Ms eu não consegui chegar antes.
- Vou ver se a enfermeira ainda te atende.
E não sai do lugar. Nem eu. Fico só vendo...
Entra uma pessoa, ela atende. Entra outra, ela atende.
A técnica entra na recepção e pergunta:
- Você é gestante, né?
- Uhum...
- Ô fulana, você não ia me passar, não?
E então ela resolve levantar esbaforida pra dar sequêcia na coisa toda.

Entro na salinha da técnica, ela mede pressão (12 x 7), me pesa (97) e diz: não tem consulta com o GO hoje, é só a reunião na salinha. Você sabe onde é?

Eu sei, né? Mas devo dizer que isso me deixou P. da cara! Decidi nao ir pra sala de reunião.
Voltei na recepção e perguntei se dava pra marcar uma consulta pra fevereiro, por que seria a minha última, já que a DPP é em fevereiro.
Ela diz que não por que o GO entrou de férias hoje e a GO que vem substituí-lo ainda não abriu a agenda. Agradeci e saí.

Mas fiquei matutando.... Como assim?
Em novembro disseram que não dava pra marcar consulta em janeiro por que ele sairia de férias, mas ele estava lá na primeira quinzena e ignoraram meu pedido, mesmo sabendo que se eu não fosse em janeiro, também não iria em fevereiro e tudo bem?
Depois a mulher chega na maternidade de referência com consulta "a menos" e ainda ouve que ELA não fez o tanto de consultas que deveria!

14 de jan de 2012

Que soplesa!

Sabadão e a gente aqui, no relaxamento. Toca a campainha e meu marido atende. Era a moça da saúde da família querendo "confirmar" a consulta de pré natal da segunda. Ele pede pra ela esperar, fala comigo e eu digo:
- Mas eu não tenho consulta marcada.
Ele diz a ela e ela responde que é uma chamada extraordinária, que todas as gestantes estão sendo avisadas.
Então tá. Recado dado, segunda às 7h tem consulta de pré natal.

11 de jan de 2012

Pré natal domiciliar.

Estamos com 33 semanas.
A enfermeira que eu escolhi pra minha assistência veio aqui hoje.
Ela viu os exames laboratoriais, a carteirinha da gestante e as USs. Ouviu BCF (ok), mediu a barriga (33cm) e identificou que a bebê está cefálica. Eu já tinha percebido desde 30 semanas, mas não tinha a avaliação de nenhum profissional, então fiquei quieta.

10 de jan de 2012

Glicemia.

Pois bem... o GO pediu uma curva de glicemia e eu decidi que faria a glicemia normal e que se desse alterada, eu faria a curva.
Resultado da glicemia em jejum: 81mg/dl.
Alguém ainda acha que precisa da curva?

26 de dez de 2011

Consulta pós Natal!

Marcaram a minha consulta pra hoje, dia 26, pós Natal.
Ninguém merece. Eu estava aqui, mas não fui.
Disseram que ele (GO) entrará de férias em janeiro, entao é provável que eu tenha consulta só em fevereiro agora.

13 de dez de 2011

Consulta no dentista.

O dente doeu e ele me atendeu.

Doeu de novo e eu tomei remédio que não devia, mas fiz e fiquei feliz.

Chega o dia da consulta, acordo 7h da matina, chego lá e o que acontece?
O dentista não está! Nem ele, nem ninguém do consultório odontológico.
Aí o povo do posto diz que eles tiveram uma convocação sei lá do quê e eu me pergunto: por que raios pegam o número do telefone da gente se nem pra avisar uma coisa tão básica eles se prestama telefonar?

Hoje eu fiquei P da vida, heim?

8 de dez de 2011

Exames...

O exame de urina foi marcado na secretaria de saúde. Definitivamente não dá pra falar nada ruim sobre esse atendimento, só não é 100% por que não é imediato, mas isso não existe mesmo, né?
Exame agendado, atendimento rápido (ordem de chegada, senha, cadeira pra sentar), tem muita gente, mas funciona bem e as pessoas que atendem são educadas e pacientes... perdi a conta de quantas vezes ouvi a moça explicando aos desavisados que tinha que pegar senha para o atendimento.

Quando apresentei a guia do exame, a surpresa: você vai fazer os dois (urina e tolerância)?
- Não, o outro não é no posto?
- Não, é aqui, você tem que ficar 3 horas... tá de jejum?
- Não... Mas na guia tá escrito que é lá, olha aí...
- É, tá escrito, mas eles erraram então... você pode voltar aqui depois pra fazer, é só estar de jejum a 12 horas...

Parece coisa do destino, né? Uma vez que eu não quero fazer o tal exame...

3 de dez de 2011

Eis que ela veio com tudo!

O dente então começou a doer. E foi de uma hora pra outra e forte demais.
Ligo no dentista e ninguém atende, passa um dia todo assim. Eu caçando, eles fugindo...
Consegui falar hoje e marquei pra ir lá depois do almoço. Passei na frente do povo, fiquei com dó, mas fazer o quê? Política deles dar prioridade pra gestante.

Ele anestesiou (glória), abriu e limpou os dois, curativou e foi a melhor sensação de todos os tempos! Quando terminou, perguntei sobre medicamentos caso doesse e ele disse que podia tomar o que o GO tivesse recomendado para qualquer dor: paracetamol.
Saí toda feliz de lá e depois de menos de uma hora em casa, eu já estava morrendo de dor, enlouquecida. Ô castigo!

Tomei paracetamol por 3 dias seguidos, de 8 em 8 horas. Mas ainda doia, então no segundo dia eu comecei a tomar anti-inflamatório, também de 8 em 8h. Eu sei que não devia, li a bula e conheço os efeitos colaterais, mas eu precisei mesmo. Foram 2 dias, 6 bolinhas. E eu agradeço muito a ele.

29 de nov de 2011

Esqueci de falar do dentista!

Depois da consulta com o GO eu fui pra sala do dentista.
Ele olhou os dentes quebrados e marcou uma consulta para o dia 13/12.
Disse que se eu tiver dor antes disso posso ligar lá, por que ele passa gestantes na frente de qualquer agendamento.

28 de nov de 2011

3ª consulta com o GO.

Desta vez eu decidi que ia  chegar mais tarde, pra esperar menos e cansar menos. Saí de casa depois das 7h, cheguei lá, pedi desculpas pelo atraso, disse que tinha consulta marcada com o Dr.T. e a atendendte deu ok e pediu pra eu esperar. Chamaram uma pessoa na minha frente e depois eu fui com as técnicas medir pressão (10 x 7) e pesar (engordei 4 quilos desde o começo). Entreguei a US morfológica que ela vai entregar pro GO antes da consulta.

Sala de reunião.
Tinha umas 10 gestantes e uma farmacêutica que foi lá falar dos medicamentos que podemos usar durante a gestação, dos prós e contras em cada idade gestacional, dos compatíveis com amamentação e sobre auto medicação. Ela foi suscinta e logo nos liberou.

Fomos todas pro corredor da sala do GO.
De repente vejo o dentista passar e ele fica entrando e saindo da sala da psicóloga. Daí me dá um estalo e eu vou conversar com ele. Explico toda a peregrinação das semanas anteriores e ele fica meio chocado. Diz pra eu passar no GO e depois bater na porta dele que ele vai me ver imediatamente.

O GO chama umas 4 na minha frente, na minha vez eu entro toda feliz (é uma proposta minha, pra parecer mais agradável) e como sempre ele nem responde meu bom dia. Só diz:
- Pode deitar ali!
Eu "obedeço" e ele vem medir altura uterina (28cm, 27 semanas) e tentar auscultar o batimento cardíaco da bebê. E procura, procura muito, mas com tanto afinco que me machuca. Ele aperta demais o sonar na minha barriga e eu fico pensando até onde ele vai. Reclamo. Ele pergunta:
- Da última vez você lembra se o seu bebê estava senatado?
- Estava. (ele não estava com a US??)
E ele volta a procurar mais pra cima, mas ela se esconde. De repente surge um batimento beeem longe e ele se dá por satisfeito. Ele limpa minha barriga e diz pra eu descer.
Sento e ele pergunta:
- Ainda tem sulfato ferroso?
- Não, o meu acabou.
Ele receita sulfato ferroso.
E continua:
- Olha esse seu bebê tá muito grande, viu? Acho que você tem diabetes gestacional. Você vai fazer esse exame aqui... E marca consulta pra dezembro por que em janeiro eu tô de férias.

Eu pego as guias e saio sem falar nada por que na verdade eu tive vontade de rir.
Como assim ele acha que eu tenho diabetes gestacional? Baseado em quê, meu Deus? Eu não tenho histórico de diabetes, eu não engordei nem o esperado pra idade gestacional, a altura uterina é normal pra IG e eu não fiz nenhum exame de sangue que determinasse que a minha glicemia estivesse alta.

Olha, eu comecei o blog com o propósito de não emitir opinião e nem deixar transparecer a minha indignação, mas tá difícil!

Fui marcar a consulta pra dezembro e falei (de propósito) que eu não estaria na cidade na data proposta (26/12) e a atendente confirmou:
- Mas ele vai entrar de férias.
- E ninguém vai substituir?
- Não...
- Hum...
- Ok, marca pro dia 26 e eu aviso se eu não puder vir, ok?

Farmácia:
Fila cheia e ninguém pra atender. O povo começa a reclamar. Uma das atendentes diz:
- Ela deve ter ido pro café. São 15 minutos, se passar disso, pode reclamar.
O senhor que era o terceiro da fila e estava na minha frente diz que já faz mais de 20 minutos que ele está esperando. Eu o incentivo a ir reclamar de novo. A atendente diz que ele pode reclamar "lá dentro". Ele vai e dá de cara com o "gerente" do posto, este então vai até lá dentro e uns 3 minutos depois a atendente da farmácia chega. Limpando a boca, passando a língua nos dentes.

As pessoas que esperavam atendimento, coisa de 9 pessoas, 5 pra trás de mim, estavam sentadas, em ordem. E eis que vem toda serelepe uma mulher com uma receita na mão e vai se enfiando. Eu digo:
- Senhora, todas estas pessoas estão na fila.
- Mas eu só preciso de uma informação sobre a receita.
- É, mas nós ficamos na fila mais de meia hora esperando a atendente que estava no café. A senhora devia entrar lá atrás.
Ela foi e quando chegou a minha vez ela estava de novo em pé na janelinha da farmácia. A atendente estava no telefone e ela jogou a receita lá dentro e ficou esperando do lado.
Eu disse:
- Muito feio o que você está fazendo, viu?
Ela ficou quieta.
- Na minha frente você não vai passar.
Catei a receita, dobrei e devolvi pra ela. Dois segundos e um dos atendentes da recepção vem com a receita da dita cuja na mão e diz que o gerente do posto mandou ela olhar se tinha o medicamento. A atendente da farmácia disse que não ia passar na frente.
- Pergunta pra ela se pode.
E eu disse-
Não pode, ela fica na fila.
Ele devolveu o papel pra outra lá e ela ainda saiu bufando do posto. Gente sem noção, não sabe se colocar no lugar do outro. A gente fica meia hora na fila e ela passa toda bela e formosa?

Não peguei o sulfato, por que não vou tomar mesmo.
Marquei os exames que ele pediu. Tenho até dia 15 pra azer todos. Urina e sangue pra glicemia, que vai dar alta, como ele mesmo previu na bola de cristal mágica dele.

Ah! A mulher que saiu do GO depois de mim, saiu aos prantos por que ele disse (sem ouvir batimento cardíaco, sem nenhum tipo de exame físico e sabe-se lá baseado em quê) que o bebê dela tinha uma má formação. O cara tava arretado hoje!

14 de nov de 2011

Pelo menos não tá doendo...

Só pra avisar que apesar do descaso do pessoal do posto, eu tenho a sorte do meu dente não estar doendo. Então eu tô levando até o dia que conseguir de fato ira lá marcar uma consulta.

9 de nov de 2011

Dentista de novo - 2.

Então tá.
Se a turma tá num curso e o "gerente"  do posto me diz que eu tenho que voltar amanhã, eu volto. Hoje já é amanhã e aconteceu o quê?
A porta estava fechada DE NOVO e eu fui DE NOVO lá dentro perguntar o que rolava. Aí veio a resposta mais engraçada de todos os tempos: eles estão em curso a semana toda.
E eu senti o sangue me subir na face... Como assim?
- Olha, eu vim aqui segunda e terça e vocês não disseram nenhuma vez que o curso era a semana toda.
A atendente diz:
- É, mas é a semana toda, não posso fazer nada.
Eu reclamei, dizendo que isso era ridículo, que eu estava ali pela terceira vez e que não entendia por que não tinham dado a informação correta desde o princípio. Ela olhou de rabo de olho pra outra que estava do lado dela e riu! Ela RIU!!!!
- Você quer o celular do dentista? Aí você fala com ele...
- Não, eu não quero o celular dele... ou você acha que el vai sair do curso dele pra vir me atender? O que eu queria de verdade é que vocês tivessem dito isso na primeira vez que eu vim aqui!
- O dentista não é uma atividade do posto, a gente não tem nada a ver com o que eles fazem lá.
Pior é que tinha um sem noção (usuário) que riu junto e ainda disse "esse povo é folgado"...
Vai rindo, um dia será a sua vez...

8 de nov de 2011

Dentista de novo.

Num esforço sobre humano ajeitei as coisas de novo pra estar disponível das 12 às 13h. Ganha um doce quem advinhar o que aconteceu...
Sem paciência já...

7 de nov de 2011

Precisando de dentista.

Na última consulta no posto o dentista disse que se precisássemos era só chegar lá e marcar uma consulta, por que gestante tem prioridade de atendimento. Eu tenho bruxismo e por isso meus dentes trincam e quebram facilmente. Quebrei um comendo amendoim e arranquei o curativo de outro (tratamento de canal interrompido).
Hoje eu fui lá marcar. Já sabia que a marcação era do meio dia às 13h. Corri que nem uma doida pra ajeitar almoço e sair de casa mais cedo pra levar as crianças ao colégio, assim passava lá antes e não atrapalhava o horário de ninguém.
Chego lá e a porta estava fechada. Vou até a recepção principal e ouço:
- É, não tem ninguém lá, eles estão em um curso.
E viraram as costas e seguiram fazendo o que estavam fazendo. Simplesmente não tem ninguém pra substituir quem trabalha pra marcar um nome numa agenda.
Uma horinha por dia, na hora mais complicada do dia, aliás... Não sei quando vou conseguir de novo e meu dente está doendo.

24 de out de 2011

2ª consulta de pré natal com GO.

Vamos ao repeteco: cheguei às 7h, sentei, esperei abrir, esperei chamar.
Rapidinho, nem 10 minutos. Chama a EO, pesa, tira pressão: 10 x 7.
- Tá baixinha, você comeu antes de vir?
- Sim, senhora.
- Trouxe exames pro GO?
- Não.
- Pode ir pra sala de reunião.

Chego lá, já tem duas gestantes e uma agente do PSF (programa saúde da família) que está perguntando nome, endereço, idade, IG, DPP, etc. Coisa que a gente já respondeu antes e que está disponível no sistema computadorizado. Faz o mesmo com todas que chagam, mas não se apresenta, nem diz tchau ou obrigada quando sai. Enquanto ela tenta preencher esses dados à mão no caderno, uma outra entrou umas 5 vezes pra perguntar escala, pra contar que não sei quem morreu, que a médica X tá de férias, etc, etc.
E nós ficamos ali, umas 8, olhando pra cara uma da outra, sem saber exatamente o que ou quem estávamos esperando.

Então entra a Téc. M. e diz que era pro dentista vir e falar da importância do cuidado bucal na gestação e nos primeiros meses do bebê, quando ele ainda não tem dentes. Ficamos cerca de 10 minutos vendo a equipe indo e vindo, hora com a informação de que o dentista não atendia o telefone, hora com informação de que não viria hoje até que a Téc. M. decide que vai bater um papo com a gente só pra não perder a oportunidade e depois libera pra consulta.

Ela pergunta quem já tem filhos e se amamentaram. A maioria já tem pelo menos um, a maioria amamentou pelo menos 6 meses. Ela fala da importância do peito, enfatiza os 6 meses, pergunta quem foi até 2 anos e só eu afirmo. Ela fala várias coisas positivas sobre o peito, mas superficialmente e sem exemplos visuais. Até que ela diz:
- Quem de vocês ouviu a recomendação de que é importante passar a toalha ou a bucha no peito? Que não pode passar hidratante? Que sol é bom e que passar o próprio leite materno nas feridas também?
Todo mundo se manifesta, ela explica que bucha não faz diferença, que hidratante não pode mesmo e diz que leite materno não pode e que hoje em dia só a recomendação de tomar sol ainda se sustenta.
Eu fiquei surpresa com a informação, mas não falei nada por que imaginei que fosse algo muito novo. Pra mim o LM sempre foi bom, é anti-bactericida, ajuda na cicatrização e é o recurso mais simples e barato para curar as feridas do seio (ou corte no dedo e até conjuntivite...rs). Mas fiquei quieta.

A reunião seguiu mais uns minutos e ela estava encerrando quando o dentista chega, atrasado, afobado e interrompendo a fala dela. Ele fica, se apresenta e discorre sobre os cuidados com os dentes. Foi muito interessante, embora estívessemos alegrinhas de ir embora mais cedo e ele tenha cortado nosso barato.
Por fim, ele sugere que marquemos uma avaliação com ele, no próprio posto, por que casos de real necessidade devem sim ser tratados na gestação. Também achei muito interessante conhecer o programa "Clínica do Bebê" que garante cuidados para as crianças até 5 anos, desde que os pais levem pra cadastro após o nascimento.

Próximo passo: consulta com o GO.
Sentamos todas no corredor do consultório. A gestante ao meu lado pergunta se o GO é bonzinho. Eu digo que ele é sério, não é de muita conversa, é competente, mas não muito acolhedor e ela faz uma cara meio sem graça. Eu emendo:
- Mas ele não precisa ser legal, né? O objetivo não é ter um amigo novo... rs
Ela ri, concorda e pergunta como é o atendimento no geral, se a consulta demora, se a próxima era logo, etc. Explico o que eu entendi até agora: consulta ultra rápida, se perder o tempo da remarcação leva mais de um mês mesmo, é melhor sair do consultório e marcar a próxima, falo da maternidade de referência... E meu nome é chamado pra consulta.

Eu entro, ele não levanta a cabeça, pergunta se está tudo bem e se eu tenho exames pra ele. Digo que não, mas que fiz a morfológica e que não tinha levado o laudo por que não tinha saído ainda. Ele diz pra eu levar da próxima vez. Mesmo sem ele perguntar eu digo:
- Mas está tudo bem, viu? O bebê é perfeito e é uma menina.
Ele não responde. Diz:
- Pode deitar ali que eu vou te examinar. Abaixa bem a calça e levanta  a blusa.
Faço o que ele pede e ele vem medir altura uterina (25cm) e ouvir o BCF. Deixo ele procurar bem, de um lado, do outro, mais uma vez... E digo:
- Ah, acho que você pode subir um pouco mais, por que ela está sentada.
- É mesmo? Ah bom... vamos ver então...
Aí ele acha o coração e vê que tá tudo ok. Ele limpa o gel da minha barriga e diz que eu posso levantar. De volta na mesa ele anota dados no cartão da gestante e pergunta se eu ainda tenho ferro em casa. Eu digo que sim e ele pergunta se dá até o próximo mês. Eu digo que "acho que sim"...
Ele me dispensa. Eu saio e marco a próxima consulta para dia 28/11.

Meus questionamentos:
- Eu estou errada em acreditar que um pouquinho de bom trato não faz mal a ninguém?
- Eu preciso mesmo ver a equipe se debatendo por causa de um profissional que falta ao compromisso e ainda ouvir: ele esqueceu, ele nem atende o telefone...
- LM no peito pra ajudar a cicatrização, não é bom?

21 de out de 2011

US Morfológica.

Fui por minha conta fazer a US morfológica.
22 semanas, ILA ok, crescimento ok, BCF ok, placenta grau 0. Perfeito.
É uma menina e está pélvica.

22 de set de 2011

Marcando a próxima consulta.

Minha consulta foi no dia 16/08.
Eu não fui marcar a consulta antes, por que eu estava viajando e pensei que se eu fosse antes de viajar acabariam marcando pro intervalo certo de um mês... Eu não pretendia mesmo fazer consultas com intervalos cravados de um mês, mas o que aconteceu hoje "superou" completamente a expectativa.
O atendente do posto pede meu cartão da gestante, faz uma cara séria e diz:
- Você está atrasada.
Eu pergunto:
- Como assim?
E ele:
- Era pra você ter vindo antes, já passou um mês.
- Ah, ok... Dá pra você ver quando tem consulta agora?
- Hum... dia 24/10...

Meio longe, né?
Bom, se eu soubesse que demnoraria tanto pra conseguir uma consulta, tinha mesmo ido antes lá. Mas esta é mais uma da série: coisas que o pessoal do posto de saúde não orienta.

16 de ago de 2011

1ª Consulta com o Obstetra.

Consulta marcada para as 7h.
Chego lá, as portas ainda fechadas, nenhum aviso sobre fila ou ordem de chegada. Alguém questiona e uma usuária diz que para consultas marcadas não é preciso fazer fila, por que eles chamam.
As portas se abrem, entramos, sentamos. 7:20h comeca a chamada, só pra checar quem veio. Mais uns minutos e uma técnica comeca a chamar. Coisa de 5 minutos entre cada chamada, na minha vez entro na sala, entrego meu cartão da gestante para a técnica M. e minha US feita na clínica particular, ela pergunta se tem mais algum exame e eu digo que fiz sangue e urina, mas que não tenho resultados em mãos. Ela checa no computador e diz que estão ali, que o GO vai avaliar na consulta.
A outra técnica me pesa, mede pressão arterial e diz:
- Pode ir pra sala de reunião.
- Onde fica?
- E só dar a volta e entrar pela porta de trás.

Chego lá e as outras gravidas estão esperando no corredor. Esperamos por mais uns 20 minutos talvez, acho que ja era uma 8h quando a técnica M. chegou e nos chamou pra uma sala com uma mesa grande, cadeiras, TV. Ela se apresentou, pediu desculpas por não ter preparado nenhum material, por que as consultas foram remarcadas e ninguém tinha avisado ela.
Começou a conversa perguntando quem estava ali pela primeira vez, eramos cerca de 9 gestantes, sendo que 3 já se conheciam. Tinha um marido também.
Ela conversa brevemente com as 3 mais antigas pra saber se estão bem, como passaram o último mês e pergunta para todos se temos dúvidas relacionadas a gravidez.
Uma mulher pergunta sobre pressão alta, pois ela teve na primeira gestação e segue-se uma conversa sobre o que é, como se previne, os riscos associados na gravidez, as consequências para o parto e principalemente sobre alimentação.
Outras questões abordando alimentação surgem e seguimos num papo aberto e bem participativo sobre o que e bom comer e o que devemos evitar, mesmo não estando grávidas.
Próxima pergunta: é normal menstruar na gestação?
A técnica M. diz que não é normal por que seria fisiologicamente impossível e explica o processo de menstruação, falando sobre a descamação das paredes do útero. Usa termos técnicos e não mostra exemplos visuais. Eu pergunto se o sangramento não poderia ser devido a nidação, já que pode acontecer um sangramento tipo final de menstruação perto de 4 semanas de gestação, o que poderia confundir a mulher com periodo menstrual e ela encerra o assunto dizendo:
- Nunca vi isso. Comigo nunca aconteceu. Você tem que fazer uma US pra determninar a idade gestacional e ver se existe algum motivo para o sangramento. Quem vai definir isso é o médico.
Outra gestante perguntou se o fato de ter retirado um ovário e uma parte de uma das trompas devido a uma gestacao ectópica poderia dificultar o parto e ela respondeu:
- Não tem nada a ver isso aí.
Falamos mais amenidades e ela nos dispensou.

Saí dali seguindo o fluxo, sem saber se já tinha acabado. A maioria das grávidas entrou num outro corredor de consultórios e eu fui atrás. Dali a pouco saiu uma de uma das salas e entrou outra e então eu percebi que ainda íamos passar pelo GO. Eram quase 9h da manhã. Algumas mulheres foram embora sem ir para esse corredor.

Minha vez.
Entro e sento. Ele não levanta a cabeça pra me olhar e diz:
- Eu não vou te examinar por que você está muito no comecinho não tem nada pra ver. Eu vi todos os seus exames aqui e tá tudo certo, viu? Você está com 11 semanas, a US deu aqui que seu parto é pro dia 29/02 e eu vou te passar ferro e ácido folico.
- Será que não é melhor arrumar a DPP no cartão da gestante então? Por que está escrito DPP 20/2...
- Não precisa por que agora eu vou me guiar pelas minhas anotações aqui em baixo, viu? e aponta a anotacao pra mim... - Você fez essa US em clínica particular...
 Expliquei o motivo e disse que a dor ainda  me incomodava e que eu vinha sentido dor no estomago também. A resposta dele foi:
- É normal sentir dor na gestacao, viu? Gravidez é assim mesmo... Tá tudo certinho com você. Você passa ali na farmácia e pega os medicamentos. Marca consulta pra daqui um mês, viu?
Ok... levanto e vou na farmácia. Pego os medicamentos, mesmo sabendo que não vou tomar o ferro. Fiquei pensando que se eu recusasse o medicamento poderia causar algum problema pra mim mesma no futuro. Não marquei a consulta, pretendo retornar com intervalo maior que 1 mês.

Perguntei pra recepcionista se eu poderia ter acesso aos meus exames e ela perguntou:
- Pra quê?
- Por que eu acho que e importante que eu fique com estes resultados. Eu posso ter algum problema e não passar pelo posto ou trocar de posto ou de médico ou de cidade e eu acho que eu tenho que ter isso, né? (assim, tudo dito com leveza e sorriso no rosto).
- Ah é, o exame é seu, você tem direito de ter ele com você.
Então ela fez a impressão dos resultados de sangue e urina e eu pude ver que meu hemograma está perfeito.

Outra coisa. No dia em que eu fui no posto pedir a US pra EO J., ela estava colhendo preventivo e eu aproveitei e fiz também. Recebi este resultado junto com os outros, mas o GO não fez nenhum comentário sobre este exame, mesmo ele apontando uma pequena alteração.

Meus questionamentos:
- De novo: por que eles acham que todas as pessoas compreendem o funcionamento da USB e não possuem regras e orientaçõees bem claras sobre isso?
- Existe benefício em falar com a população utilizando termos técnicos e sem demonstração audio visual?
- Quando você se coloca diante de um grupo como profissional, é adequado exemplificar toda sentença usando a si mesmo como exemplo?
- Está certo uma técnica que conduz um grupo de gestantes não saber o que e nidacao?
- Por que o GO nem olhou pra mim?
- Por que o GO prescreveu ácido fólico se segundo as contas dele eu estou com 11 semanas e AF se toma 3 meses antes de engravidar ate 12 semanas de gestação?
- Por que o GO receitou sulfato ferroso se eu não estou com nenhuma alteração no sangue?
- Como a DPP deu a mesma da US, se pela US eu estava com 12 semanas e ele calculou 11? Se fosse 11 semanas a DPP não devia ser uma semana a mais do que a da US?
- Não é relevante corrigir dados no cartão da gestante, levando em consideração que amanhã eu posso ser assistida por outro profissional?
- Por que ninguém mencionou o resultado do preventivo?

9 de ago de 2011

Remarcando a consulta.

Visita da Saúde da Família para remarcar a consulta de pré natal, por que a data anteriormente marcada caía em um feriado. Só isso.

31 de jul de 2011

Novas postagens.

A cada dia o blog recebe novas visitas e infelizmente eu nao tenho novidades diarias, pois nao pretendo falar sobre a gestacao aqui. Eu peco que voces, visitantes ou cuirosos, retornem periodicamente ou insiram seus emails na caixa apropriada do menu a direita, assim receberao por email a notificacao de cada novo post.
Peco tambem que divulguem amplamente este blog nas redes socias e sobretudo para seus contatos que lidam com gestantes, seja na rede publica ou privada, por que eu acredito sinceramente que o reconhecimento do tipo de conduta que se pode ter no sistema seja o primeiro passo para que ele possa ser aperfeicoado.
Te mais!

25 de jul de 2011

Exame de Urina na Secretaria de Saúde.

O exame de urina é feito (colhido) na secretaria de saúde.
Jejum de 12 horas, portas fechadas às 7h, um frio absurdo e nenhum telhadinho para cobrir nossas cabeças. Ao entrar, mais pessoas do que cadeira. Muitas grávidas e muitos idosos. Muito mais gente sem noção que não cede o lugar.
O atendimento na secretaria é bom, respeitoso e relativamente rápido. Só nao entendi por que o exame de sangue é feito na UBS e o de urina na secretaria.
Em ambos eu senti uma "falha"... a maioria dos exames é feita em jejum e não tem um copinho de chá disponível pra gente tomar depois...

Sem questionamentos desta vez.

19 de jul de 2011

Visita da dupla da Saúde da Família.

Recebi a visita de duas agentes de saúde, do grupo de Saúde da Família. Uma delas estava recebendo instruções da outra, assumindo o cargo, aparentemente. Esqueci o nome delas.
Elas tinham uma ficha com o meu nome e endereço e nenhuma informação sobre minha saúde que pudesse constar dos arquivos da UBS ou desta gestação. Ou seja, apesar de eu ter ido ao posto duas vezes só na gravidez e de existir um prontuário com as minhas informações e acesso a elas através de um computador, elas vieram me visitar sem saber nada. Então perguntaram tudo de novo: idade, data da última menstruação, idade gestacional, partos anteriores, etc. Queriam ver carteirinha de vacinação, mas eu não sei onde está. Disse que tinha o cartão de gestante das outras gestações onde consta esta informação e elas pediram pra levar na próxima consulta.
Trouxeram o pedido da US que eu queria ter feito, mas como eu resolvi isso em clínica particular, elas levaram de volta avisando que passariam a solicitação pra outra gestante.
Fora isso, perguntaram se me sinto bem, se está tudo certo com a gestação, coisas básicas.
Ah, também perguntaram sobre a carteirinha de vacina das crianças. Não entendi o que tem o pré natal a ver com a vacinação deles, mas tudo bem.

Meus questionamentos:
- Qual é o objetivo dessa visita? Se era pra perguntar coisas sobre a gestaçao que são detectadas na consulta de pré natal, por que eles simplesmente não consultam o arquivo?

15 de jul de 2011

1º Exame Laboratorial - coleta de sangue no posto.

Decidi que vou comentar questões da administração do posto de saúde também. Por que eu estou usando o serviço público pela primeira vez e tudo é novidade.

O papel de solicitação do exame dizia: jejum de 12 horas, coleta às 7h.
Eu moro a 3 quadras do posto, então saí de casa uns 10 minutos antes. Quando eu cheguei lá, fui na recepção, entrei na fila imensa pra ouvir da recepcionista que os exames eram feitos em outra porta.
Fui até lá e dei de cara com umas vinte pessoas esperando. Fiquei em pé, do lado de fora, no frio, aguardando que a porta abrisse pra que eu pudesse perguntar se era ali mesmo, já que não tinha nenhuma placa, nenhum aviso. A porta abria e fechava tão rápido, que eu perdi a chance de perguntar umas 3 vezes.
Então eu decidi perguntar para as pessoas se era ali mesmo e o que eu devia fazer. Disseram que era ali e que eu tinha que dar meu papel de solicitação do exame pra técnica, que ela colocaria no monte e chamaria meu nome. Fiquei em pé ao lado da porta que abre e fecha, e quando estendi meu papel pra ela, ouvi:
- Ih, mas agora já está tarde! Por que você não chegou às 7 horas?
Então eu expliquei que tinha passado do outro lado primeiro e que chegando ali, fiquei sem saber o que fazer com o papel por que não tinha nenhuma orientação. Ela disse que só pegava os exames até no máximo 7:20h, que essas eram as regras do Sr. W. (aparentemente uma espécie de gerente do posto), por que se eles pegassem exames depois dessse horário não dava tempo de fazer todas as coletas e aprontar tudo até a hora em que o carro da secretaria de saúde passava recolhendo este material.
Eu disse que não sabia das regras, que as regras deviam ser claras para todos, deviam estar expostas em algum lugar, por que se não for assim, fica difícil seguir.
No fim, ela aceitou meu papel (até por que eram 7:25h no máximo) e disse pra eu ficar atenta então, por que da próxima vez não iam aceitar. Essa técnica já me conhecia por causa de outras atividades minhas e também por ser praticamente minha vizinha.

Fui a última a ser atendida. A técnica /vizinha perguntou por que eu estava colhendo sangue e ficou surpresa quando eu disse que era por causa da gestação. Deu parabéns, e comentou com a outra técnica que dividia a sala com ela:
- Essa moça teve o neném dela em casa, olha que doida! Dessa vez vai ser em casa também?
Consenti.
- E vai ser sem assistência de novo?
Expliquei que o parto não tinha sido sem assistência, que eu tive o acompanhamento de duas enfermeiras obstetricas e uma doula. E ela disse que "todo mundo" achava que eu tinha feito tudo sozinha.

Coleta feita, agradeci e fui embora.

Meus questionamentos:
- Por que as regras não são ditas e não ficam expostas, pregadas na parede?
- Por que eu só tenho 25 minutos de tolerância na entrega de um papel para fazer um exame se ele é necessário e eu sou obrigada a fazer?
- Por que o exame não é feito na secretaria de saúde, assim a questão do tempo estaria limada?
- Por que eu posso esperar uma hora para ser atendida e o mesmo não vale pra quem vai me atender?

12 de jul de 2011

Consulta "fora de hora" no posto.

A dor na altura do ovário permanece.
Eu fiquei cismada, achando que o embrião pudesse estar se desenvolvendo fora do útero (no ovário ou na trompa), como já aconteceu com uma amiga muito próxima e que é algo possível de acontecer, conhecido como gestação ectópica. E por isso eu fui ao posto ver se a EO J. podia me atender e passar um pedido de ultrassom.
Ela riu quando eu disse a minha queixa. Não de uma forma debochada, mas também nenhum pouco acolhedora. Perguntou: de onde você tirou isso?
Ela disse que não era tão simples conseguir um encaminhamento de US, que mesmo que ela conseguisse, não seria pra já. Mas que ela ia ver o que conseguia fazer, que era pra eu passar lá no dia seguinte pra pegar o encaminhamento. Também me disse que não ia adiantar ir até a maternidade de referência, por que eles só atenderiam se eu estivesse com sangramento.
Então eu disse pra ela que sairia dali e procuraria uma clínica particular e que se eu não fosse buscar o encaminhamento, era por que tinha conseguido fazer o exame por conta própria.

Saí de lá e fui atrás de um lugar que pudesse me encaixar e fazer o exame sem o encaminhamento de um médico. Cinco clínicas depois, eu consegui. US transvaginal apontando gestação tópica, de feto único, com 6/7 semanas. Tudo bem com a gente.
O ultrassonografista fez o seguinte comentário durante o exame: situação complicada essa a minha, né? Seu marido é ciumento?


8 de jul de 2011

1ª Consulta de Pré Natal.

Senti dores fortes na altura do ovário esquerdo e achei melhor iniciar logo o pré natal na UBS, por que se precisasse passar pela emergência da maternidade, deveria ter o cartão da gestante com a indicação da maternidade de referência no atendimento.

Fui atendida pela EO J., que puxou meu pequeno histórico de passagem em consultas pelo posto.
Ela confirmou meus dados pessoais, como idade e endereço. Perguntou se minhas vacinas estavam em dia e se eu tinha feito o exame de sangue e disse que eu deveria levar ao posto na próxima consulta.
No meu histórico apenas os dados sobre exames preventivos (papanicolau) e algumas infomações sobre os partos anteriores. Ela pergunta se este bebê também vai nascer em casa. E eu confirmo.
Ela sai da sala.

Quando volta, preenche alguns dados do cartão da gestante. Pergunta a data da última menstruação: 20/05/2011. Calcula a data provável do parto: 20/02/2012. Preenche informações sobre histórico clínico sem perguntar nada, provavelmente baseada nas informações do histórico. A saber: abortos, filhos vivos, peso de RNs e tabagismo.
Ela me entrega o cartão da gestante e uma folha com pedido de exame de sangue e urina. Ela diz que preciso agendar os exames na farmácia do posto. E marca a próxima consulta para o dia 15/08/2011.
Nenhuma orientação sobre nada.

Em outra sala ela mede a minha pressão arterial, minha estatura e meu peso. Eu estava com blusas pesadas e a balança marcou  (85.8) mais do que eu realmente pesava nesta data (83). Eu disse isso a ela e ela não considerou. Nos despedimos.

Fui até a farmácia, marquei os exames e fui embora. Da atendente da farmácia a orientação que recebi é que usaria o mesmo papel de pedido para os dois exames, que seriam feitos em lugares diferentes, então eu não devia deixar o papel no local onde fizesse o primeiro exame.

Meus questionamentos:

- A data provável do parto não deveria coincidir com as 40 semanas de gestação?
- Não existe uma forma bem simples de fazer esta conta, que consiste em acrescentar 7 dias ao dia da DUM e 9 meses ao mês da DUM, neste caso portanto, a DPP seria 27/02/2012?
- Para determinação precisa de IG não seria correto pedir uma US nesta consulta?
- Meu último parto aconteceu a 3 anos. De lá para cá eu poderia ter abortado, parido outro filho com peso inferior a 2.500gr ou superior a 4.000gr, poderia ter começado (ou voltado) a fumar ou usar qualquer outro tipo de drogas ou ainda desenvolvido alguma doença relevante ao pré natal? Ela não deveria ter perguntado isso?
- Nesta IG eu deveria tomar ácido fólico ou algum outro medicamento?

Foi a partir desses questionamentos internos que eu decidi escrever este blog. Vou relatar tudo o que acontecer, sem colocar o meu sentimento nos fatos, mas expondo os questionamentos que eu tiver sobre esta assistência.
Espero que meu relato ajude as pessoas a refletirem sobre a qualidade do atendimento obstetrico que recebem e principalmente que os profissionais que atuam seguindo as recomendações da OMS e o bom senso profissional, possam ajudar a elucidar estas questões.

Até a próxima.

27 de jun de 2011

Grávida.

Antes mesmo do atraso da menstruação, desconfiei que estava grávida.
Não recorri ao serviço de saúde, nem público, nem particular.
Fui por minha conta em um laboratório e pedi um exame de sangue para gravidez.
E deu positivo.